feto-1

Doulas e Parteiras

Gravidez, lactância, nascimento, preparação para o parto, conselhos, apoio… ao evocar estas palavras, possivelmente a imagem profissional que nos venha à mente seja a da obstetriz ainda que para algumas pessoas poderia ser uma doula. Mas… O que é uma doula? Uma obstetriz? E uma parteira? O que as diferencia? São contrárias ou complementares? A seguir contamos tudo para você.

 

Iris Franco e Mila Bena

O que é uma obstetriz e que funções tem?

Um(a) obstetriz, normalmente conhecida por parteira, é um/a profissional no setor sanitário

“O profissional sanitário que, com uma atitude científica responsável e utilizando o desenvolvimento da ciência em cada momento, proporciona um atendimento integral à saúde sexual, reprodutiva e maternal da mulher, em suas facetas preventivas de promoção e de atenção, recuperação da saúde, incluindo, do mesmo modo, a atenção à mãe, o diagnóstico, controle e assistência na gravidez, parto e puerpério normal, e a atenção ao recém-nascido com saúde, até o 28º dia de vida.”


Que serviços uma obstetriz ou parteira pode realizar?

  1. Criar ou participar de programas de saúde materno-infantil;
  2. Diagnosticar, controlar e prestar assistência à mulher durante a gravidez utilizando os meios clínicos e tecnológicos.
  3. Detectar precocemente situações de risco e encaminhar a outros profissionais com os quais trabalham de maneira interdisciplinar, e inclusive, se necessário, tomar as oportunas medidas de urgência.

A formação acadêmica

No Brasil, há três caminhos para seguir a carreira obstétrica:

br-legislacion  Enfermagem: o profissional formado em enfermagem pode fazer uma especialização em obstetrícia para atuar na assistência da mulher no pré-natal, parto e pós-parto em situações de baixo risco.
br-legislacion  Obstetrícia: é uma formação de nível superior com foco na saúde e no cuidado da mulher antes e durante a gravidez, no parto e no pós-parto. Essa formação tem disciplinas em comum com o curso de enfermagem, mas o graduado não precisa fazer uma especialização para atuar na área.
br-legislacion  Medicina: o estudante de medicina que desejar seguir carreira na área de obstetrícia precisa fazer 3 anos de residência médica em Ginecologia e Obstetrícia.

 

Atualmente a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) oferece o único curso de licenciatura em obstetrícia do país, com boa avaliação pelo MEC.

 

O nome da licenciatura desta especialidade da enfermagem denomina-se:

Licenciatura em enfermagem e obstetrícia

 

O que é uma doula?

Existem duas correntes diferentes para explicar a origem do termo. Há autores que afirmam que provém da antiga Grécia e significa “escrava ou serviçal”. Outros relacionam-no com o híndi, língua na qual significa “mulher experiente”.

Uma doula é uma pessoa experiente na assistência ao nascimento. :

 

Acompanha as mulheres durante a gravidez, o parto e o puérperio.

Se ocupa do bem-estar da mãe e de suas necessidades, especialmente das emocionais

Podem oferecer apoio durante a fase de concepção ou nas perdas perinatais.

Ajuda ao cônjuge e a outros membros da família.


Como o fazem? 

A doula ajuda a confiar na capacidade para dar a luz, amamentar e criar, proporcionando informação e recursos para que se viva uma maternidade plena e consciente, conforme as circunstâncias e desejos de cada mãe.


 

Qual é a formação acadêmica das doulas?

As doulas não fazem parte da equipe sanitária, no processo de atendimento não realizam nenhuma tarefa clínica e são uma ocupação definida no Ministério do Trabalho brasileiro desde janeiro de 2013.

 

Seu trabalho baseia-se em diversas fontes profissionais de diversas áreas, como os psicólogos, pediatras, ginecologistas, obstetras, fisioterapeutas e também em terapias alternativas, entre outras.

Algumas associações e grupos oferecem itinerários formativos estruturados, mas não deixam de ser cursos alheios à formação regular.

Além disso, as doulas podem realizar vários cursos ou seminários (disponíveis também para as mães, já que não é necessário ter formação prévia) sobre assessoria quanto ao uso do sling ou sobre como carregar o bebê, criação natural, lactância, massagens infantis, relaxamento, etc. São as próprias doulas que, depois de realizar estas oficinas, e com sua experiência prévia, se encarregam de assessorar as mães.

A ANDO, Asociação Nacional de Doulas, definiu o código ético deste grupo profissional no Brasil. O código define:

  1. Regras de Conduta
  2. Responsabilidade Ética com as Clientes
  3. Responsabilidade Ética com seus Colegas
  4. Responsabilidade ética com a Profissão de Suporte no Trabalho de Parto
  5. Responsabilidade ética com a Sociedade

A organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde de vários paises entre eles o Brasil (portaria 28 de maio de 2003) reconhecem hoje após uma década a enorme contribuição da presença da doula no momento do parto.

Obstetrizes e doulas em crono segundos

Uma enfermeira pode ser doula.

Uma enfermeira pode ser obstetriz.

Uma obstetriz sempre será enfermeira.

Uma obstetriz pode ser doula.

.

Qualquer mulher pode ser doula
tenha ou não formação sanitária
prévia.

O trabalho que uma doula realiza pode
ser executado por uma obstetra,
mas não é possível o contrário.

Que tipos de parto existem e que
profissionais intervêm
em cada um?

Eutócico

Parto normal, não instrumentalizado, nem medicalizado.

Sinônimo de parto fisiológico.


PPROFISSIONAIS QUE VOCÊ PODE ENCONTRAR NUM PARTO EUTÓCICO:
  • Parteira ou Obstetriz
  • Enfermeira
  • Auxiliar de enfermagem
  • Doula
  • Médico obstetra (pode estar dentro da sala de parto ou não, mas sempre ficará por perto para socorrer no caso de complicações).

Parto medicalizado e instrumentalizado.


PROFISSIONAIS QUE VOCÊ PODE ENCONTRAR NUM PARTO DISTÓCICO:
  • Médico obstetra
  • Parteira ou Obstetriz
  • Enfermeira
  • Auxiliar de enfermagem
  • Anestesista
  • Pediatra (se o parto for de risco e possam apresentar-se riscos para o neonato, haverá um pediatra para garantir a assistência imediata ao mesmo justo depois do período expulsivo).

Parto que, como o nome indica, se realiza em casa.


PROFISSIONAIS QUE VOCÊ PODE ENCONTRAR NUM PARTO EM CASA
  • Parteira ou Obstetriz
  • Doula

Ao longo da gravidez e durante o período pós-parto, você pode consultar também:

Fisioterapeuta 

O fisioterapeuta é um profissional sanitário com formação universitária. Estão especializados na terapia mediante o utilização de meios físicos como a massagem, o frio, o calor, a eletricidade, o ar e a luz entre outros.
Tem como objetivo prevenir, curar e aliviar patologias do sistema músculo esquelético. Eles também trabalham os aspectos relacionados com a postura corporal. La fisioterapia se usa como substituto ou bem como ajuda ao tratamento farmacológico.

Cuidadoras do recém-nascido

As cuidadoras do recém-nascidos são mulheres que se dedicam exclusivamente a cuidar dos bebês recém-nascidos para “garantir” o descanso das mamães. Costumam ser enfermeiras profissionais que se deslocam a sua casa para ajudar nos cuidados do bebê, além de prestar um apoio quanto a temas como alimentação, banho do recém-nascido, cuidado do cordão umbilical, etc.

Diferença entre ginecologista e médico obstetra:

Ginecologista

O ginecologista se ocupa especificamente do controle da mulher e das doenças do aparelho reprodutor feminino fora da gravidez, enquanto que médico obstetra se encarrega de atendê-la durante a gestação, parto e puerpério.

Médico Obstetra

O obstetra são médicos ginecologistas especializados na gravidez. Ou seja, todos os obstetras são médicos ginecologistas, mas nem todos os ginecologistas são obstetras.

casa Critérios de inclusão para um parto domiciliar:

O plano de nascimento deve ser estabelecido antes das 28 semanas de gestação

  1. Aconselha-se o mínimo de quatro visitas à parteira antes do parto, e é indispensável que uma delas se realize no próprio domicílio.
  2. As gestantes devem apresentar todas as ecografias e testes feitos durante a gravidez.
  3. A gestação será de um único bebê e em apresentação cefálica.
  4. O parto deve produzir-se entre a 37-42ª semana da gestação.
  5. É preciso que a gravidez seja de baixo risco.
  6. A decisão de dar a luz em casa deve ser informada e livre, da parte da gestante, sendo necessário deixar registro expresso do consentimento prestado.
  7. O domicilio da parturiente deve situar-se a uma distância igual ou menor a meia hora de um centro hospitalar.

datos Dados de interesse no Mundo: 

  1. Na Holanda se promove o parto domiciliar para mulheres com gravidez de baixo risco, e é coberto pelo sistema público de saúde.
  2. No Reino Unido, tanto o parto domiciliar, hospitalar como os centros de nascimentos estão incluídos no sistema público sanitário.
  3. Em Estados Unidos a porcentagem de partos fora do hospital tem aumentado de 1.26% em 2011 para 1.36% em 2012 e continuou aumentando em 2014.